Pesquize em toda a Web

Escassez de terrenos leva hotéis para bairros tradicionais de BH

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Sion e Padre Eustáquio entre os mais visados.


O E-Suítes Sion, que demandará aporte de R$ 14 milhões, terá 12 andares


A escassez de terrenos nos mais movimentados corredores da Capital provoca a migração de projetos de grandes empreendimentos hoteleiros para dentro de bairros tradicionais de Belo Horizonte. Entre os mais visados pelas empresas, em decorrência de fatores como a proximidade de sedes de eventos empresariais ou de centros comerciais e prestadores de serviços, como bancos, farmácia e padaria, está o Sion, na região Centro-Sul, e o Padre Eustáquio, na região Noroeste.

Quem confirma tal tendência é a Vert Hotéis, que está construindo o E-Suítes Sion, em bairro de mesmo nome, primeiro empreendimento de marca própria na Capital. Com aporte estimado em R$ 14 milhões, ele terá como público-alvo aquelas pessoas que permanecem mais tempo no hotel. "Existem aqueles executivos que passam a semana toda na Capital e por isso se sentem mais à vontade em um bairro residencial no qual ele possa encontrar uma variedade de serviços", declara o diretor de Operações da Vert, Acácio Pinto.

O empreendimento terá, no total, 12 andares e 90 apartamentos, com aproximadamente 32 metros quadrados cada um. A diária deve custar em torno de R$ 240, mas, no entanto, será oferecida a opção de pagamento mensal. No caso, o valor cobrado será em torno de R$ 6 mil, com todos os serviços incluídos. A estrutura do hotel oferece diversar facilidades ao hóspede-morador. Entre elas está restaurante, academia, estacionamento, piscina e SPA. A previsão, segundo o diretor, é que o empreendimento comece a funcionar em fevereiro do próximo ano. A empresa estima a geração de 40 postos de trabalho diretos.

A proximidade com o Centro de Feiras e Exposições George Norman Kutova (Expominas), na região Oeste, onde acontece o maior número de eventos empresariais de Belo Horizonte, motivou a Vison Hotéis a construir um hotel, com diárias a preços econômicos voltado para estadias de curta duração, no bairro Padre Eustáquio, próximo à Via Expressa, na região Noroeste de Belo Horizonte. No total, serão investidos R$ 5 milhões na construção de 36 quartos, distribuídos em 11 pavimentos. O preço das diárias deve ser de aproximadamente R$ 120.

Previsto para abrir as portas no primeiro semestre de 2014, a estrutura contempla uma mini academia, SPA com Jacuzzi, estacionamento, restaurante para café da manhã e lanches rápidos, loja de conveniência com autoatendimento e internet grátis. O público-alvo são executivos que chegam à Capital para visitas curtas, normalmente apenas para participar de eventos empresariais ou concluir uma negociação.


Tendência - Especialistas do setor hoteleiro afirmam que os grandes hotéis não vão deixar de ser construídos nas principais ruas e avenidas de Belo Horizonte. Porém, a tendência é de que, em função da escassez e da valorização dos terrenos localizados nessas áreas, as empresas passem a visar também o interior dos bairros. A presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Minas Gerais (Abih-MG), Rafaela Simoni Fagundes Lopes Vale, enumera alguns locais que se tornam mais interessantes a cada dia.

Ela destaca, além do entorno do Expominas, as proximidades do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, o Aeroporto de Confins; bairros da região da Pampulha, próximos ao Estádio Governador Magalhães Pinto, o Mineirão, como Jaraguá e Ouro Preto; bairros nas redondezas da Cidade Administrativa, como os da região de Venda Nova, além do Buritis, em decorrência da proximidade com o BH Shopping.

Conforme o economista da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio Minas), Gabriel de Andrade Ivo, os novos empreendimentos hoteleiros em construção na Capital, seja dentro dos bairros ou em áreas mais centrais, estão em consonância com as necessidades da cidade. Ele também aponta áreas que se tornaram mais interessantes para o empresário, após a valorização imobiliária. "Até pouco tempo, não havia nada nas proximidades do Shopping Del Rey. Áreas beneficiadas pelo novo sistema de transporte, o BRT, também se tornam mais interessantes", argumenta.

Ele acrescenta que a instalação de um complexo hoteleiro dentro de uma zona residencial acarreta na expansão do comércio regional, que começa a se preparar para atender a um fluxo de clientes que tende a ser crescente. "Vale lembrar que o comércio, turismo e serviços caminham sempre juntos. Com isso, a expansão da rede hoteleira na Capital naturalmente ajuda a incrementar o comércio", argumenta.

A avenida Prudente de Morais, na altura do bairro Cidade Jardim, região Centro-Sul, também ganha, em breve, um novo empreendimento. Trata-se do Cidade Jardim Golden Flat, fruto de uma parceria entre a Construtora Canopus e a Promenade. A data de inauguração ainda não foi divulgada. O objetivo do complexo é atender a uma demanda crescente de executivos que chega à capital mineira. No total, serão 323 apartamentos, restaurante aberto ao público, espaço para eventos e estacionamento.

O local escolhido é bastante estratégico. Trata-se de uma área que, outrora, abrigou o supermercado Mineirão, ao lado do IBS, instituição parceira da Fundação Getulio Vargas (FGV) e nas imediações do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). A perspectiva é de que a diária custe R$ 290. A expectativa é de que a média de ocupação, no início das atividades, se mantenha em 70%.(DiarioDoComercio-BH)

0 comentários:

Postar um comentário

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP