Pesquize em toda a Web

Saiba qual a taxa ideal para o seu perfil ao financiar o imóvel

domingo, 19 de agosto de 2012



Apesar da tentação dos juros mais baixos para o financiamento imobiliário, apregoados pelos bancos desde abril — quando os bancos estatais reduziram suas tarifas, obrigando os privados a acompanhá-los na estratégia —, é preciso calcular as taxas e os encargos para saber o valor total do financiamento e que banco oferece as condições que se encaixam no seu orçamento ou perfil.— Um exemplo desses encargos é o seguro prestamista, que garante a quitação da dívida no caso de morte ou invalidez. Ele não precisa ser feito no mesmo banco do financiamento. Assim, é possível conseguir taxas melhores, mas a Caixa não permite a transação. Nesse caso Bradesco, Santander e HSBC têm melhores tarifas — diz Nelson de Sousa, economista do Ibmec.

Caixa e Banco do Brasil oferecem juros condições melhores para renda inferior a R$ 4 mil.

— Para quem ganha esse valor, os juros de alguns bancos privados podem chegar até 9,5%, com tarifas são menores e negociáveis — completa Nelson.

Acredito que as taxas ainda podem diminuir um pouco

"Com a queda dos juros, o mercado imobiliário será beneficiado, pois haverá mais ofertas. Afinal, as empresas $setor estão de olho nesse crédito. Acredito que as taxas ainda podem vir a diminuir um pouco. Será difícil aumentarem o prazo. Os 35 anos que a Caixa Econômica Federal e o Santander oferecem já são bastante tempo. Fica difícil dizer qual a melhor taxa, mas as simulações $os bancos estatais (Caixa e Banco do Brasil) como melhores para famílias que têm renda até R$ 3 mil. Em média, a prestação fica em R$ 753,18 para essa faixa de renda na Caixa e, no BB, R$ 784,20. O valor pode mudar de acordo com o relacionamento com o banco", Bruno Teodoro, 32 anos, economista.

Fique de olho

Renda: Não comprometa mais de 30% da sua renda na compra do imóvel.

Entrada: Juntar uma boa quantia para a entrada é a melhor forma de garantir juros e prazos menores.

Prazo: Os prazos mais longos aumentam o valor total.

Índices de correção: Fique atento aos índices de correção das prestações . O advogado Leonardo Peixoto, especialista em Direito Imobiliário, lembra que são as variações acumuladas em 12 meses do Índice Nacional do Custo da Construção (INCC) ou o Índice Geral de Preço do Mercado (IGP-M) que determinam quanto o seu empréstimo subirá ao longo dos anos.(Extra)

0 comentários:

Postar um comentário

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP