Pesquize em toda a Web

Vendas de imóveis novos residenciais somaram 31 mil unidades até novembro em SP

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

As vendas de imóveis novos residenciais na capital paulista somaram 31 mil unidades entre janeiro e novembro de 2010, número um pouco superior ao registrado no mesmo período de 2009 (30 mil unidades), segundo os dados divulgados nesta quarta-feira pelo Secovi (Sindicato da Habitação) de São Paulo.

De acordo com o sindicato, o volume de vendas não foi maior porque as empresas não lançaram no mesmo ritmo novos empreendimentos.

Para o ano de 2010, a estimativa é de fechar com a venda de 36 mil unidades, também levemente superior ao resultado do ano anterior (35,8 mil).

No mesmo período foram lançadas no município 30 mil unidades, segundo os dados da Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio). O resultado apresenta um crescimento de 19% em relação ao do mesmo período de 2009, quando foram lançadas 25 mil unidades.

Segundo o Secovi, houve dificuldades das empresas em lançar novos empreendimentos por causa da escassez de terreno. Por conta disso, o número recorde de lançamentos de novas unidades em 2007 (39 mil) não foi superado em 2010, apesar "de os fatores macroeconômicos serem amplamente favoráveis para isso", diz o sindicato em comunicado.

Em relação ao tamanho, os lançamentos de dois dormitórios lideraram nos 11 primeiros meses do ano passado. Esse tipo de unidade somou 48% do total, enquanto o de três quartos ficou com 31%, os de um com 12%, e os de quatro com 9%.

Os preços dos imóveis atingiram seu limite de alta em 2010, após passarem por considerável reajuste entre 2007 e 2009, informou nesta quarta-feira o Secovi-SP (sindicato da habitação).

A expectativa é de que não haja grandes aumentos a partir de agora. Os reajustes deverão acompanhar os índices de inflação e as "eventuais flutuações tópicas de procura, em quarteirões específicos de bairros especiais".

Segundo o Secovi, para aqueles que buscam imóvel para especular, a recomendação é de não comprar. "Esse investidor deve se concentrar no mercado de papéis, moedas e derivativos", diz em nota.(Folha.com)

0 comentários:

Postar um comentário

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP