Pesquize em toda a Web

Rio: Mercado imobiliário sem crise

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

0 mercado imobiliário do Rio de Janeiro voltou a crescer no mesmo ritmo pré-crise. De janeiro a junho de 2010, segundo números da Associação Brasileira dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário [Ademi), já foram lançadas mais de seis mil unidades no Estado. O mesmo mercado que mexe com a economia, movimenta também o marketing imobiliário. Segundo Ratael Motta Duarte, especialista em marketing e sócio-diretor da agência Percepttiva, cresce o setor imobiliário e, com ele, a necessidade de novas ferramentas para se diferenciar e vender. Segundo o executivo, o marketing imobiliário no Rio movimenta uma verba entre R$ 60 milhões e R$ 80 milhões por ano.

"Acredito que as novas técnicas de marketing contribuíram muito para venda de imóveis na planta nestes últimos dez anos. Hoje, com imagens 3D e filmes virtuais, o cliente pode ver como o empreendimento vai ficar com grande fidelidade. É um grande avanço que conquista o cliente. Usamos muitas ferramentas de sedução como: apartamentos decorados, salas de vídeo, material gráfico de alto nível, e agora estamos inovando com realidade aumentada e maquetes eletrônicas',' comenta Duarte.

Era pós-panfletos
Para ele, a era dos panfletos já passou. E destaca que treinamento, promoção, material de ponto de venda e, principalmente, ações de relacionamento fazem do marketing a ferramenta fundamental para construtoras e imobiliárias. "Para 2010, a expectativa é de que a indústria cresça 30% em relação ao ano passado. E, para isso, as empresas contam com estratégias de marketing cada vez mais diferenciadas e competitivas" acrescenta Duarte.

Rogério Chor, da Ademi e da CHL, uma das empresas do setor, assinala que o mercado no Rio de Janeiro é bastante pulverizado, com espaço para empresas de todos os portes. A CHL pretende lançar oito empreendimentos, sendo cinco populares e três de classe média a classe média alta. Entre as regiões, estão Botafogo, Tijuca, São Conçalo e Duque de Caxias.

Para comunicar a diferentes tipos de potenciais compradores o lançamento de empreendimentos em áreas tão distintas da cidade e do Estado, a CHL não dispensa a mídia tradicional, mas usa de outros caminhos para conquistar o consumidor e estimular o corretor. "Há um forte investimento na figura do corretor, pois ele faz a ponte com o cliente. Entre as ações já realizadas pela CHL, uma das mais inusitadas foi o lançamento de um dos empreendimentos a bordo do navio Pink Fleet. Foi a primeira vez que uma ação de marketing do setor imobiliário aconteceu em alto-mar. A idéia foi entrar no clima do empreendimento, já que os 55 primeiros compradores do residencial Icarai Family, em Niterói, ganhariam uma viagem de navio de sete Maria Braga para apresentar os empreendimentos do segmento econômico. "A campanha, desenvolvida pela agência DPZ, contemplou emissoras de TV, jornais, rádios e mídia exterior e tinha como objetivo mostrar as facilidades do programa Minha Casa, Minha Vida, com os subsídios do governo. Com o sucesso, Ana Maria teve seu contrato renovado e já gravou novos filmes para irem ao ar" diz

0 gestor de marketing da empresa Calçada, Bruno Oliveira, afirma que a realização de eventos como os de marketing de incentivo para corretores foi inicialmente uma questão de necessidade. "A oferta é muito grande no mercado e a concorrência está atenta ao movimento nos stands. Criar um evento para os corretores significa fidelizá-los antecipadamente, para que os profissionais cheguem ao lançamento absolutamente ambientados com o que cada empreendimento pede. No caso do Aloha, levamos a praia para a convenção. Todos os corretores foram convidados a trocar os sapatos por sandálias havaianas e o bufê era típico de praia. Além disso, fizemos uma área para prática de esportes como vôlei e frescobol e o resultado foi comprovado nas vendas.

Rio Maravilha
"Tudo isso, a meu ver, se deve às novas regras de crédito e, claro, pela onda de otimismo e investimentos por conta de Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016. As construtoras buscam novos mercados e com tantas mudanças ocorrendo é difícil eleger uma região, mas os bairros da zona norte, alavancados pelo projeto Porto Maravilha, e a zona oeste, incentivada por Copa e Olimpíadas, devem bater recorde de lançamentos" prevê.

A Brookfield Incorporações, por sua vez, investe tanto em comunicação de massa, como jornais, rádio e TV como também em ações nas redes sociais, Twitter, Facebook e Orkut, para divulgação de lançamentos. "A expansão tem ocorrido nas zonas norte, oeste e outros municípios como Nova Iguaçu, Mangaratiba, Niterói, São Gonçalo e também, no litoral norte fluminense, como Campos e Macaé. Há uma forte demanda por imóveis residenciais voltados para a classe média e também para imóveis no segmento econômico enquadrados no Programa Minha Casa, Minha Vida" explica Luiz Fernando Moura, diretor executivo da Unidade de Negócios do Rio de Janeiro da Brookfield. Mas ele ressalta que os preços altos dos imóveis são uma realidade que ainda persistirá por conta da falta de terrenos, como é o caso da zona sul do Rio.

Luiz Henrique Rimes, diretor nacional de negócios da João Fortes Engenharia, é outro profissional do setor que atribui à melhora da economia e a investimentos em eventos como alguns dos fatores responsáveis pelo aquecimento do mercado imobiliário local. A empresa fará oito lançamentos na cidade ainda em 2010. "Além da mídia tradicional, a João Fortes mantém outros canais de comunicação e divulgação, como Twitter, Flickr, Facebook, YouTube, assim como hotsites dos empreendimentos e o próprio site da companhia. Ainda estamos analisando se vale cadastrar a empresa na Wikipedia e no Foursquare" observa Rimes.

Praia digital
A digitalização também faz parte dos planos de marketing da construtora Even. Renata Garcia, responsável pelo marketing da empresa, afirma que hoje a empresa já usa um percentual de sua verba para comunicação em novas mídias. Tudo depende do produto que será lançado e do público que a empresa pretende atingir,

"Sabemos que cada vez mais as pessoas pesquisam antes de comprar algo e com o imóvel não seria diferente, por isso temos que estar presentes onde estas pessoas estão no seu dia a dia. Impulsionadas pelas lan houses, a classe C vem aumentando sua participação na internet e mudamos a forma de nos comunicar. Hoje, as empresas estão investindo cada vez mais em redes sociais, aumentando assim o impacto da informação com o cliente" destaca ela.

Mario Amorim, diretor da BrasilBrokers, grupo de consultoria e intermediação imobiliária, registrou crescimento de 130% nas vendas de imóveis novos no segundo trimestre deste ano, comparado ao mesmo período de 2009. E diz que o segundo semestre está recheado de lançamentos. Ao todo, 12 mil unidades em toda a região metropolitana, baixada fluminense, Costa Verde, Búzios e Cabo Frio, em parceria com vários incorporadores.

"Basicamente, a mídia tradicional é feita pelos incorporadores. As empresas de venda buscam as alternativas. Na Basimóvel utilizamos bastante a oferta dirigida pela internet, redes sociais, telefone e através do nosso programa de TV que vai ao ar todas as manhãs de sábado, na Band. Este é um momento espetacular. A economia brasileira está estabilizada, o que garante certa segurança para quem vai tomar uma linha de crédito. O financiamento está bem acessível e os bra¬sileiros já sentiram que esse é o momento para realizar a compra da casa própria ou até mesmo para fins de investimento. Na outra ponta, os incorporadores estão levantando muitos e excelentes empreendimentos para todas as faixas. E com toda essa demanda e oferta, o grupo BrasilBrokers registrou um aumento na força de vendas da ordem de 41% neste segundo trimestre de 2010 se compararmos o mesmo período do ano passado. Hoje já são mais de 11 mil corretores trabalhando para a companhia em todo o País" comemora ele.(ClipImobiliario)

0 comentários:

Postar um comentário

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP