Pesquize em toda a Web

Espanhol amplia presença com fusão que cria a Agre

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

SÃO PAULO - O espanhol Enrique Bañuelos ampliou sua força no mercado de construção com a criação da Amazon Group Real Estate (Agre)
A Agre foi criada a partir da união das companhias Abyara Planejamento Imobiliário -de cujo capital social o empresário passa a deter indiretamente, por meio da Veremonte Participações, 43,8%-, Klabin Segall, na qual o executivo terá 51% de participação, e Agra Empreendimentos Imobiliários.
Os acionistas da Abyara serão detentores de 20,23% do capital social da Agre, enquanto os donos das ações da Klabin Segall têm 30,51% do controle.
A Agra será a majoritária, com 49,26% das ações. A nova empresa nasce com um valor de mercado de R$ 2,3 bilhões e está entre as 3 maiores do País no setor imobiliário.
Em comparação com o último ranking das maiores empresas da construção e incorporação de edifícios residenciais em valor de mercado, divulgado pela Economatica e referente a 27 de agosto, a Agre entra no páreo lado a lado com a terceira posição, a PDG Realty, cujo valor de mercado também gira em torno de R$ 2,3 bilhões. Na frente das duas empresas apareceram a Cyrela Realty, com um valor de mercado de R$ 4,8 bilhões, e a MRV, com R$ 3,1 bilhões.
Com a incorporação das empresas, o braço do segmento econômico da Agre, a Asa Incorporações, será a principal representante no segmento econômico da Agre. Segundo Silveira Pinto, a decisão estratégica da nova companhia é trocar de estrutura de vendas. "A Agre terá uma estrutura de vendas forte, e, em São Paulo, a Lopes é a parceira exclusiva." No restante do País, a empresa atuará em parceria com empresas locais.
Quando somado o volume de vendas contratadas das três empresas, a Agre nasce como a maior do País no tocante aos resultados de 2008. As companhias somaram cerca de R$ 3,2 bilhões em vendas contratadas.Mas em relação às vendas contratadas dos seis primeiros meses de 2009, a Agre soma R$ 558 milhões. Este montante representa aproximadamente metade do valor total de vendas das maiores desse indicador, Gafisa, com R$ 1,3 bilhões, e MRV, com R$ 1,2 bilhões.
Banco de terrenos
Conforme os resultados das três companhias do primeiro semestre, a Agre já tem um banco de terrenos com um valor geral de vendas (VGV) de R$ 19 bilhões, volume que fica abaixo apenas do da Cyrela Realty, dona de um banco de R4 37,5 bilhões em VGV.
Tomando base nos resultados do segundo trimestre de 2009, a Gafisa apresentou um total de VGV de R$ 15,9 bilhões. A Brookfield Incorporações tinha um banco de R$ 14,4 bilhões. A Rossi Residencial contabilizou um VGV de R$ 9,9 bilhões.
Segundo o principal executivo da Agre, Luiz Roberto Horst Silveira Pinto, que também assume a presidência do Conselho de Administração da Agre, "a estratégia da nova empresa é investir na diversidade regional, mas nosso foco principal serão o Norte e o Nordeste". Ele diz que "o mercado dessas regiões é promissor".
E a distribuição do banco de terrenos da Agre comprova a expectativa da empresa. A maior fatia está localizada na Região Sudeste e corresponde a 45% do total. A Região Norte tem 6% do banco de terrenos, e a Nordeste, 37%. Na Região Sul a Agre tem 8% do seu banco de terrenos, e na Região Centro-Oeste, 5%."Continuamos focando o segmento de alto e médio padrão, mas o segmento econômico também está em nossas metas", afirma Silveira Pinto. A fatia de 46% do banco de terrenos da Agre é destinada a imóveis residenciais de médio padrão. Já para imóveis de médio-alto padrão, a Agre possui 33% de seu banco. Terrenos para o segmento econômico representam 9%.
O restante do banco de terrenos é composto por 8% aos imóveis de alto padrão, 2% para empreendimentos comerciais e 1% para loteamentos.
A nova empresa entrará no mercado já com atuação e projetos de lançamento em 17 estados. Silveira Pinto comenta que a Agre começa no setor com uma dívida corporativa de R$ 1,150 bilhão. "Nós temos a intenção de abrir ofertas no mercado, mas com captação, a fim de diminuir a dívida corporativa", afirma.
As empresas Abyara Planejamento Imobiliário, Klabin Segall e Agra Empreendimentos Imobiliários juntaram-se para criar a Amazon Group Real Estate (Agre) Empreendimentos Imobiliários. Agora, a Veremonte Participações, parceira comercial da Agra e cujo controle é do espanhol Enrique Bañuelos, terá 51% do capital social da Klabin Segall e 43,8% do da Abyara.
A Agre nasce com um valor de mercado de R$ 2,3 bilhões e está entre as três maiores do País no setor imobiliário. Em comparação com o último ranking das maiores da construção e incorporação em valor de mercado, divulgado pela Economatica e referente a 27 de agosto, a Agre entra no páreo lado a lado com a da terceira posição, a PDG Realty, cujo valor de mercado também gira em torno de R$ 2,3 bilhões. À frente das duas empresas aparecem a Cyrela Realty, com valor de mercado de R$ 4,8 bilhões, e a MRV, com R$ 3,1 bilhões.
O setor de construção civil é o que mais anunciou ofertas de ações na Bolsa de Valores de São Paulo depois da retomada do mercado, em junho. Das 17 ofertas registradas ou em análise na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e na Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid) até ontem, quatro são do setor. Além de MRV, PDG, Rossi Residencial e Direcional, que já anunciaram suas operações, outras empresas que possivelmente vão ao mercado captar recursos são Tenda, Cyrela (por meio de IPO da Living) e Tecnisa.(DCI)

2 comentários:

diego 3 de setembro de 2009 17:24  

GOSTARIA DE SABER COMO MANDO UMA SUGESTÃO DE NOTICIA?

Joel Francischetti 3 de setembro de 2009 17:44  

Diego envie para joelfrancischtti@gmail.com

Postar um comentário

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP